sexta-feira, 12 de junho de 2015

Os Fardos de Palha


 Brás Samaia pertence a uma antiga linhagem de feitores que gere a Quinta do Galeiteu desde meados do século XIX. Filho de uma relação incestuosa entre Idalina Pontes e Marcolino Manso, foi no seu já falecido avô, Zaqueu Carrilho pai de Idalina Pontes, que encontrou as bases para poder ser indicado como feitor.

 Brás Samaia, feitor da Quinta do Galeiteu, tem sete fardos de palha para alimentar sete equídeos todas as semanas. Desses 7 equídeos há um cavalo, uma zebra e um pónei nas boxes e quatro burros nos estábulos! Sempre criticou o seu avô por ele dar catorze fardos de palha ao cavalo à zebra e ao pónei todas as semanas e deixar os quatro burros a “ar e vento”... Bem, de quatro em quatro semanas, lá dispensava meio fardo de palha ao burro (e só a um deles) que mais se destacava em lamber-lhe as botas. Na verdade, Zaqueu Carrilho sempre que prestava contas ao dono   da quinta, afirmava com altivez que os equídeos da sua quinta comiam em média 2 fardos de palha por semana. O dono nunca se perguntou porque raio os burros tanto zurravam, quando lavravam as vastas terras. Era só fome! Era só fome, digo eu!
 Com o preço do milho a baixar, a Quinta do Galeiteu deixou de ter tantos lucros e por isso, Brás Samaia, passou a receber apenas sete fardos de palha para distribuir pelas sete “cavalgaduras”!
 - Dá um fardo de palha por animal! - Dizia o dono na quinta.
 E tinha razão, parece-me! Contudo, na Quinta do Galeiteu nem tudo que parece é! A zebra e o pónei ainda baixaram a crina, mas o cavalo não parou de dar coices. Vai daí, o feitor decidiu dividir os sete fardos de palha de uma forma bastante justa: quatro fardos de palha para o cavalo e três fardos de palha para a zebra, o pónei e os burros. Mas os Burros continuavam a zurrar!
 - Arre burro! - bradava Brás Samaia – Então ele que não comiam nada agora zurram mesmo depois de lhes dar meio fardo de palha!
 É, tem razão, na verdade os burros foram os únicos que tiveram um aumento na quantidade de comer! E nem o fardo de palha extra que o quinta vizinha oferece todas as semanas faz calar os barulhentos burros!
A teoria dos frangos 2.0

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Saco de Gatos

Que belos são os gatos
Quando passeiam pelos matos
Contemplando as borboletas
De várias cores obsoletas

Gatos pretos, gatos brancos
Cinzentos, zarolhos e mancos
Angorá, abissínio ou persa
O olhar não se dispersa

Mas se os metem no mesmo saco
As unhas arranham sem dó
Os outrora amigos gatos
Nem respeitam o paletó

segunda-feira, 24 de março de 2014

O Gordo

Chega o gordo todo à bruta
Entra no baile de gente fina
Pede uma dança à saia curta
De seu nome Jesuína
O seu jeito de elefante
Põe o povo em alvoroço
Que não gosta do pedante
Que troca camarão por tremoço
O gordo não é baixo nem alto
Pode até ser magro, peralto
Com modos ou a cheirar a chulé
Mas será sempre um labrego
Sem ninguém lhe dar apego
Que só lá vai de marcha à ré.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Hesitar

Hesitar
Caminhar por entre as giestas
Correr ao encontro das bestas
Parar e as flores contemplar

Hesitar
Fechar os olhos à noite
Não ter ninguém que açoite
O corpo que pensa em parar

Hesitar
Não querer perder um amigo
Estender a mão quando há perigo
Cantar-lhe uma canção de embalar

Hesitar
Depois do fúnebre inverno
Que nos pareceu quase eterno
Venha a primavera para amar

terça-feira, 18 de março de 2014

O bom samaritano

Ao passar por "aquela" estrada o bom samaritano olhou a berma e viu um viajante postrado e disse-lhe:
- Amigo, precisa de ajuda?
Ao qual o pobre senhor respondeu:
- Sim, por favor, dai-me a mão para me levantar!
O bom samaritano assim fez, deu-lhe a mão, ajudou-o a levantar e o viajante seguiu caminho

Mais à frente, já mesmo a chegar a casa, o bom samaritano vê um vulto na berma da estrada e vai ver o que se trata:
- Está aí alguém? Precisa de ajuda?
Lá do meio do arvoredo ouve-se uma voz:
- Sim, por favor, dê-me uma mão!
O bom samaritano estende a mão para o ajudar o homem e diz:
- PORRA! As silvas arranham!

segunda-feira, 17 de março de 2014

A Terra das Árvores Pequenas

Era uma vez uma terra longínqua em que todas as árvores eram pequenas!
Os seus habitantes não as deixavam crescer para além dos 3,5 metros!
Certo dia alguém ousou perguntar aos escrupulosos funcionários responsáveis  pela poda, o porquê dessa directiva estranha. A resposta não poderia ser mais estranha ainda:
- Sempre foi assim. As árvores nesta terra não podem nunca ter mais de 3,5 metros de altura!
As pobre árvores de tantas podas e cortes encontravam-se num estado lastimável. 
Os poucos ramos, tinham poucas folhas que, por sua vez, davam pouca sombra...
As pessoas quando vinham às janelas de suas casas deparavam-se com as copas e não conseguiam ver a rua...
De noite, os postes de iluminação, como estavam acima das árvores, não permitiam a chegada da luz ao passeio...
Então resolveu deixar crescer as árvores da sua propriedade livremente. Quem passava acusava-o de ir contra aquilo que sempre todos se sentiram obrigados. Haviam mesmo mulheres que, ao passar junto às frondosas árvores, se benziam como de uma obra de Belzebu se tratasse. Mandaram mesmo o regedor da terra bater-lhe à porta para o abrigar a pôr as árvores na norma...
Com o passar dos anos a pressão fui diminuindo até ao dia em que toda população admirava as árvores desse alguém e vilipendiavam a aquela estranha ordem de as ter a 3.5 metros de altura!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A Vaca Finou-se

Vinde, vinde senhores ver: a vaca morreu, finou, bateu a caçoleta , finou-se, encomendou a alma ao criador.
Tanto mamaram os fidalgos, tantos ordenharam os burgueses, tanto chuparam os clérigos que a vaca morreu!
Criticada pela quantidade e pela qualidade do leite, mal tratada pela higiene do úbere, gozada pelo tamanho da teta, jaz agora a nobre defunta.
Vinde, vinde senhores: cantai cânticos de nojo, por aquela que leite vos dava, vos alimentava, vos engordava...
Vinde, vinde senhores: lamentai agora o leite mal bebido, o leite derramado, o leite roubado da boca de uma criança. Discutais agora quem mais chupou? Olhai mas é para aqueles que agora acusais da morte da vaca, aqueles que nunca mamaram, os mesmos que aproveitavam o leite caído dos vossos frondosos beiços na terra.
Vinde, vinde senhores: A Vaca está morta... Morreu... Mataram-na de tanto a esmifrarem!
Não culpeis a Vaca! De dentro dela só saía o leite que ela conseguia produzir. E até era muito!... O seu leite chegava para todos se não houvessem chupistas, se os mesmos de sempre não ocupassem demasiado tempo e demasiadas vezes as 4 tetas!...
Vinde, vinde senhores ver a vaca morta, mamai agora na teta do bobo.
Vinde ver senhores!
Respeitai a próxima Vaca, se houver Vaca!


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

O Cinto de Castidade


Apesar de uma discussão bastante interessante, iniciada pelo Rui Pina, no seu estilo particular, descambar em ofensas mais ou menos sub-reptícias de amigos apraz-me dizer:
Discutir a Constituição Portuguesa como aquilo fosse algo que todos respeitam e “tendencialmente” todos se revêm ou devessem rever é cómico!
A CP assemelha-se a um cinto de castidade, com uma chave na posse do Tribunal Constitucional e outra numa maioria de 2/3 na Assembleia da República! Parece-me que seria muito difícil violar a séria República portuguesa.
Contudo, da esquerda à direita tem-se sabido umas quantas violações por parte de quem não deveria ter a chave.
Enquanto PS e PSD, possuidores até hoje da chave dos 2/3 preferem enaltecer as virtudes da dita a discutirem seriamente a sua alteração... Assim viram-se para o Tribunal Constitucional e fazem da sua constituição de juízes mandatários políticos, uma chancela para a violação constante da constituição, com a garantia que o marido traído garante a castidade da mesma... Diga-mos em linguagem corrente o corno manso!
Mas vai-se mais longe: O próprio maridonão tem qualquer pudor em aceitar que, apesar de a violação já ter sido consumada, a constituição continua inviolável por necessidade de força maior. O violador estava mesmo à rasca! E isto de gostos não se discute!
Uma Constituição da República velha mas sábia, cheia de teias de aranha e contradições não deveria ser alvo de necessidades, quase diárias, em ser violada.
Diz o marido que cortar nos trabalhadores públicos e não cortar nos privados é inconstitucional, diz por causa da igualdade entre todos os trabalhadores, certo! Também acho!
Um trabalhador do setor público vai de baixa e recebe 100% do ordenado (agora será 90%) que será igual a um trabalhador do privado que, como defende o guardião da igualdade, quando vai de baixa recebe a partir do 4º dia 65% (agora não mais de 62%) isso é a igualdade, não se está mesmo a ver!....
Um aluno do 12º ano de escolaridade (agora ensino obrigatório) paga 65€ por um livro e isso é ensino tendencialmente gratuito. Isso é defender o ensino Público!
Por isso é que eu preferia que em vez do moralista cinto de castidade a constituição portuguesa estivesse protegida por um colete-de-forças evitando assim que ele esbraceje muito enquanto continua a ser violada!

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O triunfo dos Porcos


O Triunfo dos Porcos

Major, um porco velho, reúne os animais da fazenda para compartilhar o seu sonho: serem governados por eles próprios! Os animais, sem a submissão e exploração do homem.
O velho Major faleceu três dias depois, subindo ao poder os astutos e jovens porcos Bola-de-Neve e Napoleão, que passaram a se reunir clandestinamente a fim de traçar as estratégias da revolução. Certo dia Sr. Jones, então proprietário da fazenda, se descuidou na alimentação dos animais, fato este que se tornou o motivo para aqueles bichos e a Revolução deu-se.
Sob o comando dos inteligentes e letrados porcos, os animais aprenderam os Sete Mandamentos:

1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupas.
4. Nenhum animal dormirá em cama.
5. Nenhum animal beberá álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais.

Para os animais menos inteligentes, os porcos resumiram os mandamentos apenas na máxima "Quatro pernas bom, duas pernas ruim" que passou a ser repetido constantemente pelas ovelhas. Após a primeira invasão dos humanos, na tentativa frustrada de retomar a fazenda, Bola-de-Neve luta bravamente, dedica todo o seu tempo ao aprimoramento da fazenda e da qualidade de vida de todos, mas, mesmo assim, Napoleão o expulsa do território, alegando sérias acusações contra o antigo companheiro. Acusações estas que se prolongam, mesmo após o desaparecimento de Bola-de-Neve, na tentativa de encobrir algo ou mesmo ter alguma explicação para os animais para catástrofes, criando-se um mito em torno do porco que, a partir daí, é considerado um traidor.
Napoleão se apossa da idéia de Bola-de-Neve de construir um moinho de vento para a geração de energia, mesmo havendo feito duras críticas à imaginação do companheiro, e inicia a sua construção. Algum tempo depois, os porcos começam a negociar com os agricultores da região, recusando a existência de uma resolução de não contactar com os humanos, apontando essa ideia como mais uma invenção de Bola-de-Neve. Os porcos passam ainda a viver na antiga casa de Sr. Jones e começam a modificar os mandamentos que estavam na porta do celeiro:

4. Nenhum animal dormirá em cama com lençóis.
5. Nenhum animal beberá álcool em excesso.
6. Nenhum animal matará outro animal sem motivo.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

O hino da Revolução é banido, já que a sociedade ideal descrita, segundo Napoleão já teria sido atingida sob o seu comando. Napoleão é declarado líder por unanimidade. As condições de trabalho degradam-se, os animais são de novo atacados pelos humanos e já não se lembram se na época em que estavam submissos ao Sr. Jones era mesmo pior, mas lembravam-se da liberdade proclamada, e eram sempre lembrados por sábios discursos suínos, principalmente os proferidos por Garganta, um porco com especial capacidade persuasiva. Napoleão, os outros porcos e os agricultores da vizinhança celebram, em conjunto, a produtividade da Quinta dos Animais. Os outros animais trabalham arduamente em troca de míseras rações.
O slogan das ovelhas modificado-se ligeiramente, “Quatro pernas bom, duas pernas melhor!”, pois agora os porcos andavam sobre as duas patas traseiras. No final, os animais, ao olhar para dentro de casa, já não conseguem distinguir os porcos dos homens.
In Wikipédia

O 2 de Agosto de 1982 não será esquecido! Parabéns a todos!

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Cócó de Frango no ventilador!



Desconhecendo por completo o motivo, motivações e outras complicações, não posso deixar de conjecturar sobre os aviários construídos (e/ou em construção) lá p´ros lados da Urgeiriça... E não esquece a quem, como eu, por lá passa todos os dias!!!!...
Claro está, que tomara nós que fossem construídos mais uma centena de aviários e que com isso viessem outras tantas centenas de empregos e milhares de euros para a economia... Tomara!!!! Mas Aquilo que me fascinam são mesmo as minhas interrogações (quiçá filosóficas) que apontam para a certeza que uma autorização para fazer os mesmos “capoeiros” para os lados do Chão do Pisco, era coisa para não acontecer!...
Também podem dizer que é mania da perseguição mas olhem que não... Olhem que não!!!
É que ali em meio quilómetro temos Aviários cheirosos, lago artificial de águas cinzentas, um monte de guarda inertes da exploração de materiais radioactivos da região centro e uma pseudo-ETAR. Se a tudo isto juntarmos um Hotel 4 estrelas ficamos com uma situação 5 estrelas!...
Mas é claro que isto será apenas mania da perseguição... Ou então não!...
Apesar da crise temos:
Duas rotundas novinhas em folha em Nelas, zero rotundas novinhas em folha em Canas de Senhorim
Uma rua com via dupla e separador central e ciclovia em Nelas, zero ruas com via dupla e separador central e ciclovia em Canas de Senhorim.
Um centro escolar em Nelas, zero centros escolares em Canas de Senhorim
Uma estação da CP com as portas abertas em Nelas, zero estações com as portas abertas em Canas de Senhorim
Um tribunal a encerrar em Nelas, Zero tribunais a encerrar em Canas de Senhorim...
E por aí fora!...
Contudo, como é óbvio, isto é só mania da perseguição... Coisas do pessoal de Canas... Um Chorão que sou!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Comentário em jeito de Post!



Sim... Sim!...
Querer-me parecer que o Canas Em Peso está a derivar a norte!... 
Dói-me, mas é o que é!... Até o "Jornal Canas de Senhorim" já trás notícias de Carvalhal Redondo! Será que se vai fundir com Canas na nova reforma administrativa?
Eu respeito, mas não compreendo!!!
Não compreendo porque o @efeneto, com o blogue à disposição e sendo um amigo (que é) do Desportivo, não é o primeiro a perguntar pelos 30.000€ que faltam entregar ao GDR... Que na reunião com as associações, prometeram, com carácter de urgência, pelo menos10000€ e... "Nicles batatoides"!!! Nem isso!...
Não compreendo porque o @efeneto, com um blogue à disposição e sendo amigo (que é) dos Bombeiros, não se revolta pela ajuda "zero" para o novo carro para incêndios industriais... "Nicles batatoides"!!! Nada!... E se for preciso esse veículo? Virão chorar outra vez "lágrimas de crocodilo"?
Não compreendo porque o @efeneto, com um blogue à disposição e sendo amigo (que é) do Lar Pe. Domingos, não insta o poder vigente a esclarecer quais são os valores efectivamente dados para a amplificação do edifício do Lar e Centro Dia? "Nicles batatoides"!!! Zero, Zero!...
Não compreendo que se inaugure uma obra como aquela rua de dupla via com separador central em asnelas e não renasça num verdadeiro, que nem precisa de ser verdadeiro, nem sequer canense um sentimento de injustiça...  A mim irrita-me, e eu até nem sou pessoa de invejas!
Mas respeito, porque se respeito os responsáveis por simpática esta degradação, tenho de respeitar o @efeneto que não tem culpa efectivamente nenhuma... Porque é especialmente um "gajo" porreiro!
Como diria Jesus na cruz: "tudo está consumado"!
Eu digo: "que se lixe, vamos vivendo" 

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Vive la France!

Ao analisar o estudo estatístico colocado no interessante blog "Canas o Concelho" e já difundidos pelas redes sociais, muitas vezes truncado e obliquamente dissecado apraz-me dizer... 
    Quem ao longo de quase dois séculos andou a ser "estapafurdiamente" gatunado e durante três décadas "estapafurdiamente" gatunado e gozado, ter agora algum "carcanhol" para fazer umas festas, beber uma "bejecas", fazer um passeios ou construir umas lombas em paralelo e coisa para animar!...
    Comparar a simpatia da Drª Isaura com a fragosidade do Dr José Correia, ou a fómite do actual executivo que junta todo o concelho com a intelectualidade serôdia dos correlegionários, quase sempre socialistas, que também juntavam todo o concelho é pura perda de tempo!
    É tudo muito bonito mas a roleta que antigamente teimava em se fixar no zero agora pára no 1 ou no 2!...
    A falta de dinheiro que pode justificar nada!... Esta gente ainda não percebeu o significado de igualdade ou, no mínimo, equidade!...
    Se o dinheiro não abunda, não se fazem rotundas colossais ou ruas de via dupla e separador central em todo o concelho.... Seja em Canas, seja em asnelas.
    Se o "pilim" não existe, o que se concede as Bombeiros de um lado, dá-se aos Bombeiros do outro... Seja em Canas, seja em asnelas.
    Se o numerário está a zeros, o valor facultado ao Carnaval a do norte será igual ao Carnaval do sul... Seja em Canas, seja em asnelas.
    Se o cobre se evaporou, o valor de um idoso por aqui é igual ao valor do idoso de aí... Seja em Canas, seja em asnelas.
    Igualdade é dar 100 aqui e 100 ali...  Não sem aqui e cem ali!...É construir uma fonte lá e um repuxo cá...
    Pois, por aqui não há igualdade, falta a fraternidade e limita-se a liberdade... Graças a Deus que não somos franceses.


este texto teve a preciosa ajuda do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Zeca

No Carnaval não me leve a mal!

O "jornalista" José Miguel Silva ficou indignado! É a vida!...
Não leve a mal, mas escrever que Paço e Rossio não se entendem independentemente do que seja é... É uma não notícia!... Era o mesmo que pôr na primeira página de um Jornal que Eusébio é do Benfica ou concluir depois de uma noite de cálculos que 2 + 2 são 4!!!
E como haveria tantas notícias, investigações, opiniões ou interrogações... 
Quanto dinheiro foi foi atribuído e efectivamente entrou em caixa nas associações carnavalescas de Canas este ano? E nos anos anteriores? E as de asnelas?
Elucide-nos, se assim o entender, qual foi o apoio que a Junta de Freguesia de Canas e a CMasn deram a um aniversário de um Bar, institucionalizando uma festa concorrente às festas das associações Paço e Rossio?
O comunicado é violento... É-o sem dúvida! Até porque um comunicado para elucidar uma "Folha de asnelas" é dar-lhe uma importância que eu pensava que não tinha, que eu queria que não tivesse, mas afinal parece que tem! Até porque o Presidente da Junta de Canas já deu um entrevista a esse mesmo Folha... Coisa que também me deixou de queixo caído!...
Lá está!... Mais uma coisa sem importância nenhuma!... Que faz arfar muita gente!... 
Os tempos que se seguem é que serão interessantes!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A Origem das Espécies


Se uma coisa que nunca farei é reescrever a história!...
Primeiro porque não tenho essa capacidade, depois porque me orgulho dela e das suas personagens... Agradeço a todos os que à frente das fileiras deram o corpo às balas... Conheço bem os que sempre ficaram atrás, à espera de recolherem o saque de vitória... Vou observando os que esperaram atrás da árvore por ficar com os despojos dos derrotados.
Eu estou dos lado daqueles em que, uma vitória é uma vitória e uma derrota é uma derrota (e tantas foram)...
O meu voto não vai para um lucro ou para um tacho... A minha lista não tem fins económicos ou de poder...
E como tenho pouco jeito para “rato”, se ou quando algum dia isso acontecer, irei ao fundo com LP... Porque, não concordando com muito dos seus caminhos, se participei no banquete das vitórias, darei a minha mão, se for o caso, para pegar na urna e porque acredito nas ressurreição...

Para o meu amigo @Manuel direi apenas que fazem hoje, exactamente, 152 da 1ª edição do livro de Charles Darwin, “A Origem das Espécies”. Livro esse, onde são apresentadas evidências abundantes da evolução das espécies, mostrando que adiversidade biológica é o resultado de um processo de descendência com modificação, onde os organismos vivos se adaptam gradualmente através da selecção natural.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Viagens Na Minha Terra


Entrando, via Hotel Urgeiriça, em Canas de Senhorim deparamos-nos nos dias de chuva com uma considerável poça de água que não tem para onde escoar...
Do lado direito falta um poste de iluminação arrancado num acidente e nunca mais colocado... Na passagem subterrânea, buracos...
E estamos na Rua Abílio Monteiro... As lombas/passadeiras são o que são: pitorescas, típicas alucinantes, radicais!...
Tipos de passeios contei 7, mas é possível haver mais. alguns que duvido poderem chamar-sepasseios, visto que, o diâmetro dos postes de iluminação e igual à soma do quadrado dos catetos, ou seja, o próprio passeio. A solução é bastante simples, mas perigosa: ir no meio da estrada...
Estrada essa que foi cortada para a passagem de cabos eléctricos, o conserto foi manhoso: ficou umregode 150m na longitudinal!
NasQuatro Esquinaspermitam-me uma sugestão. que por motivos económicos não é possível terminar as obras da urbanização4 Esquinas, o que se lamenta mas compreende, refaçam os passeios, estacionamentos e desmontem a grua...
Na Rua do Rossio e na transição para a Rua da Estação dois postes sem luz, ou melhor, sem lâmpadas a funcionar. Isto se nota muito porque dão 2 postes seguidos... Com o Minipreço aberto a confusão é muita e a visibilidade e quase nenhuma...
Na Rua da Estação a desolação é tão grande que, meu Deus!... Passeio mal amanhados, alcatrão manhoso, muros deitados abaixo para obras que nunca mais começam, tampas de esgoto quais gaisers perfumados, postes sem protecção, casas a cair, curvas de estrada ridículas, uma ETAR em bypass... Um espectáculo dentro do espectáculo que são estas viagens na minha terra!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

O Regresso da Madrasta III


“...O navio envolto nas ondas e no vento, escondido pela escuridão da noite lutava por se manter à tona de água....
Ao longe “A Madrasta”, navio pirata, apressa-se para prestar auxílio aos marinheiros, não esquecendo nunca o mais importante as riquezas existentes no barco a naufragar. Abeirando-se do navio, os piratas perguntam:
ñ Primeiro mandem os baús dos tesouros, depois as pessoas!
Rapidamente os marinheiros desceram aos porões e lançaram uma barcaça com todas as riquezas. De seguida mergulharam e nadaram em direcção ao navio pirata na esperança que os piratas lhe dessem abrigo... Só que, como era óbvio, “A Madrasta” mas se apossou dos tesouros zarpou a toda a velocidade, deixando os marinheiros dentro de água presos a barcaças e a pedaços de madeiras que flutuavam...
No barco apenas o capitão e um marinheiro “rasca” de nome “sinbad” se mantinham firmes, enquanto o barco afundava e os ratos já tinham abandonado o navio!”

Na altura em que se fumavam barbas de milho, dizia-se que aquilo “batia”... Mas devia ser do quiemar o pó de urânio!
E como na altura víamos a luz Sr. Fulano de Tal!

domingo, 13 de novembro de 2011

O Regresso da Madrasta II


Agora há por aí juventude que mistura vodka preta com bicarbonato de sódio... É coisa, digo eu, para pôr neurónios já mortos de volva à vida!...


Pergunto-me porque é que há boa gente a teorizar sobre um Centro Escolar de Canas de Senhorim... Bem, teorizar até podemos! Mas numa perspectiva humorística!
Esse tal CECS além de ter sido escolhido o pior dos sítios, vejamos:

  1. Não é querido pelo Ministério da Educação, que desejaria mais juntar tudo em redor da Madrasta e porque é mais barato.
  2. Não é querido pela Madrasta, pelo motivo acima descrito, mas principalmente pelo fome centralizadora e transformação de todas as localidades em “Reles Aldeias”... E pitorescas digo eu!
  3. Não é querido pelas populações em redor de Canas, porque fechariam as escolas desses sítios.
  4. E, diga-se de passagem, na minha opinião, não é querido pelos maiorais do Agrupamentos de Escolas


Sabem que vos diga? Esqueçam lá isso! É causa perdida!...
Faz-me lembrar um jornalista que me perguntava se era a primeira vez que vinha a uma manifestação onde a GNR estava especialmente irritada (manifestação antiportagens na A25)... Disse-lhe que não... Que era de Canas de Senhorim e não precisava de lhe dizer mais nada... Ele atirou-me sorrindo com um “uiuiuiuiuiuiui”... Ao qual eu respondi sorrindo também:

  • Pois, só luto por causas perdidas não é?


Pois é!... Venha de lá essa vodka preta com bicarbonato de sódio.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O Regresso da Madrasta

Ás vezes acordamos de momentos de transe variáveis!... Podem durar um minutos, uns dias, mas raramente duram meses!... Até porque com o passar dos tempos fica caro e começam a faltar as veias!

Depois de ver as lombas/passadeiras que fizeram em Santar e Casal Sancho, apetece-me dizer um palavrão escabroso, vai de encontro à minha teoria de que as lombas/passadeiras de Canas de Senhorim são uma grande obra-de-arte de como se goza o pessoal!... Afinal os funcionários da “Madrasta” sabem fazer a coisa... E muito bem!...

Nas questões dos horários de funcionamento das luminárias públicas é coisa que ainda não entendi... Melhor, não me apetece entender, bastam os factos simples: As 7:00H da manhã não há luz em Canas e meia hora mais tarde a Madrasta brilha explendorosa iluminando, entre outras, a rotunda da vinha... Não vá alguém roubar os cachos...

Eu ainda sou do tempo em que estiveram para construir umas rotundas entre o cruzamento de Vale de Madeiros e o entroncamento de Canas de Senhorim Centro... Bem, se calhar não estiveram para se contruir, eu é que entendi mal... Se não, porque tem a Madrasta, em fase de finalização, uma nova rua de 4 vias e separador central? De onde vem tanto dinheiro? Onde está o alcatrão para a Rua Fonte da Cruz? Ou uma ruela, porque não em terra batida, que ligue a Rua da Estação a rotunda da Boiça?


terça-feira, 17 de maio de 2011

Venham mais cinco!

Há alguns anos atrás deixei de ter a disponibilidade que tinha para andar pela net a demonstrar as minhas "incoerências"...
Por exemplo, o meu conhecimentos do Twitter, foram certificados num curso das Novas Oportunidades... Podem-se rir à vontade:
O Separador "@mentions" descobri-o hoje por indicação de uma amigo indignado com as "provocações" do @camandro...
Sei que podemos fazer reetweet mas ainda não descobri como...
Para mensagens com mais de 160 caracteres também há uma solução, mas eu não sei bem qual!...
Se me dedicasse à coisa, aprendia, mas não dedico... Se bem esse minha ignorância amplificou uma contenda começado pelo @camandro no Twitter e continuada por outros no Facebook e email... E tudo isto não teria importância nenhuma se não chegasse a certas pessoas que eu... Como direi?... Não aprecio e abomino que falem na minha pessoa!...
O Twitter só tem uso lógico via telemóvel já tinha reparado nisso... Até tinha pensado pedir ao @Camandro ou ao @Alexandre uma opinião sobre qual o melhor modelo para eu comprar... A minha participação nas redes está limitado a certas horas (poucas) do dia e a afazeres familiares

Posto isto, porque as palavras foram ditas na mesma e porque o "vermelhusco" merece tentarei esmiuçar as suas acusações
1 - Mudar o nome de Cingab Concob para Rui Marques no meu Blogue não deve espelhar nem falta de coerência nem convicção, antes pelo contrário.
2 - Defender Canas de Senhorim e as obras que EU considero mais importantes sempre foi o meu objectivo... O mais importante é o Desenvolvimento e escrevo contra quem se sentir... Não acho é o LP o alfa e o ómega dos problemas de Canas, critico-o pessoalmente e por escrito, sem problemas como se pode comprovar com o que escrevi ao logo dos anos na Blogolândia Canense...
3 - Votei na coligação simpática da 1ª vez para tirar de lá o José, da segunda votei porque assim prometi caso fosse construído o pavilhão do Rossio e acreditando que o está escrito no último post fosse possivel realizar... Constato, tristemente, que até as obras do quartel dos Bombeiros é alvo de cortes... Devia ficar calado porque votei nos simpáticos? Não me parece!
4 - A fusão de freguesias e concelhos pode ser uma boa transformação administrativa, já expliquei isso em post's passados...